Página Inicial
A empresa
Cadastro
Destinos
Dicas
Eventos
Fale conosco
Fuso Horário
Hotéis
Links
Nossa Loja
Notícias
Promoções
Resort
Serviços
   
   Índice de Notícias
   
19/04/2006 09:54:01
As 7 estações que agitam o inverno na América do Sul.

  Valle Nevado, Chile
De dia, pistas para todos. De noite, o maior agito

Junto dos centros de esqui de La Parva e El Colorado, Valle Nevado forma a maior superfície esquiável da América do Sul - a de Los Tres Valles de los Andes. São 107 quilômetros de pistas cobertas, quase sempre, de uma neve perfeita. Do iniciante ao esquiador técnico, há pistas para todos, ainda que as mais difíceis se contem nos dedos. Valle Nevado também agrada a quem gosta de esportes radicais (asa- delta, parapente, heliski - o esquiador se lança do helicóptero em movimento). E tem o prestígio de ser a capital sul-americana de snowboard. No início de setembro, por exemplo, vai sediar o Campeonato Mundial. Ele atrai jovens de todo o continente, que tomam conta do resort. Mas os adultos vão se sentir em casa, pois há muito o que fazer no chamado après-ski: restaurantes de cardápio italiano e francês, bares descolados e discotecas lotadas até de madrugada. Durante o dia, porém, o esportista de carteirinha vai até La Parva e El Colorado, esquiando pelas encostas andinas, um roteiro da mais pura adrenalina.
É verdade que os hotéis de Valle Nevado necessitam uma reforma, mas isso não deve afugentar nem mesmo o viajante que vem para cá com outra intenção que não a de esquiar.

Quanto Custa: a partir de US$ 873, por pessoa (5 noites em apartamento duplo) .
Onde Fica: distante 60 km de Santiago; está a 3 025 m de altitude (da base).
Neve e Pistas: eram nove teleféricos - acaba de ser inaugurado mais um. Quanto à neve, é sempre boa.
Hotéis: grande oferta de quartos; porém, falta um quê de moderno.
Restaurantes: na temporada passada, deixaram a desejar. A expectativa é de melhora para 2001.
Lazer: a noite é a melhor do Chile andino. A garotada adora.

Las Leñas, Argentina
Quase uma cidade, com esqui e desfile de moda

Enquanto centro de esportes de inverno, é um dos maiores do continente. A diferença, em relação a outros resorts, é que aqui você se sente em uma pequena cidade - tem até shopping center. Las Leñas deixa o esquiador contente: são quarenta pistas, de vários níveis de dificuldade - uma delas é iluminada à noite. A estação nasceu num platô entre montanhas, sem vegetação; quando venta, a sensação de frio é intensa. Mas isso não atrapalha o desfile de moda de quem está de férias por aqui - a elite, sem dúvida. Se for a Las Leñas, cuide bem do visual.

Quanto Custa: a partir de US$ 1 631, por pessoa (7 noites em apartamento duplo).
Onde Fica: distante 1180 km de Buenos Aires. Está a uma altitude de 2 200 m (da base).
Neve e Pistas: boa neve, pistas variadas, mas de risco calculado. Recomendadas para snowboarders.
Hotéis: boa variedade; até o viajante de orçamento mais econômico vai ficar satisfeito.
Restaurantes: há boa oferta, mas o cardápio podia ser mais refinado.
Lazer: há sempre o que fazer, dentro ou fora do resort.

Portillo, Chile
Um clube - só de iniciados

Foi no início do século 20 que o esqui começou a ser praticado no Chile - em Portillo. Há um único hotel e ele funciona como um "clube" para quem domina o esporte. Craques europeus e americanos são atraídos pelas pistas com as inclinações mais vertiginosas da América do Sul. A localização do resort, em um estreito vale entre montanhas, mais a altitude garantem a neve de qualidade excepcional. Moral da história: só vai a Portillo, quem tem o hábito de dormir cedo, para poder esquiar de manhã.

Quanto Custa: a partir de US$ 1 110, por pessoa (7 noites em apartamento duplo).
Acesso: distante 149 km de Santiago; está a uma altitude de 2 890 m (da base).
Neve e Pistas: as mais ousadas dos Andes. Atraem como ímã quem adora o esporte; a neve é irrepreensível.
Hotéis: só tem um; e ele não se renova há uma eternidade.
Restaurantes: também poderiam ser alvo de uma mudança radical.
Lazer: exceto esquiar, pouco sobra para fazer.

Termas de Chillán, Chile
Único resort de montanha com spa termal

A rigor, Chillán tem dois hotéis: o Gran Hotel, de cinco estrelas, e o Pirigallo, de quatro. Só que o Gran Hotel, inaugurado há três anos, é o único nos Andes com spa: são três piscinas termais de arrepiar os sentidos. Esse resort também atrai exímios esquiadores pela variedade de percursos que se pode fazer sobre sua neve - de manobras radicais ao simples cross-country. Além dos hotéis, dá para ficar alojado no condomínio e freqüentar o spa. O melhor desta narrativa, ao menos para quem gosta de esquiar é que, mesmo quando não cai neve no continente, sabe-se que ela vai ser suficiente em Chillán (algo que se explica pela sua latitude). Para se ter uma idéia, em maio passado, suas pistas já estavam cobertas com mais de 1 metro! Chillán está rodeada de bosques de carvalho. No ambiente de grande beleza natural, vale a pena andar de trenó, puxado por cachorros da raça husky-malamute. O après-ski também pode ser especial, aproveitando o spa para tomar banho termal, fazer reiki, aromaterapia ou massagem.
Em comparação com as outras estações chilenas, o cotidiano de Termas de Chillán é íntimo. O que garante tranqüilidade (e segurança) para quem tem o hábito de viajar com a família.

Quanto Custa: a partir de US$ 915, por pessoa (7 noites em apartamento duplo).
Acesso: distante 480 km de Santiago; está a uma altitude de 1 650 m (da base).
Neve e Pistas: as duas novas pistas elevam o total para 29. A neve é ótima.
Hotéis: o fato de ter um spa torna esse resort incomparável na Cordilheira dos Andes.
Restaurantes: gastronomia à altura da hotelaria; mas vale quanto pesa - ou seja, acima da média.
Lazer: a vida noturna é fraca, mas os passeios compensam.

Chapelco, Argentina
Bom para passear e brincar de esquiador

Quem vai a Chapelco, hospeda-se em San Martín de los Andes, vila de estilo alpino, distante cerca de 15 quilômetros. Em San Martín, há um pouco de tudo (hotel cinco-estrelas, pousadas, cassino e bares), mas o ambiente é tranqüilo - perfeito, portanto, para a família. Quem ensaia os primeiros passos sobre esquis, também se sente em casa em Chapelco. As pistas são fáceis e margeiam os bosques de carvalho, com vista para o Lago Lacar.

Quanto Custa: a partir de US$ 1 337, por pessoa (7 noites, em apartamento duplo).
Acesso: distante 1 956 km de Buenos Aires a uma altitude de 1 250 m (da base).
Neve e Pistas: só é bom para iniciantes e para aqueles que não se importam de andar diariamente até o centro invernal.
Hotéis: a oferta é pequena, mas variada; e atrai pelos bons preços.
Restaurantes: os serviços são de nível regular, se comparados com os das outras estações do continente.
Lazer: o ambiente natural é bonito, mas falta explorá-lo como se deve.

Pucón, Chile
Lazer com ou sem neve

Tem pistas que aproveitam as encostas do Vulcão (ativo) Villarrica, o que dá ao esporte um charme único. Também são as preferidas para a prática do snowboard. Na verdade, Pucón é um centro de lazer o ano inteiro - ou seja, fica lotado até no verão. Atrai o viajante que gosta de apreciar a beleza da região em passeios a pé, a cavalo ou de carro. Quem vai até lá? Gente jovem, que sabe que vai ter a sua diversão garantida.

Quanto Custa: a partir de US$ 913, por pessoa (7 noites em apartamento duplo).
Acesso: distante 677 km de Santiago; está a uma altitude de 1 450 m (da base)
Neve e Pistas: mesmo na temperatura adequada, a neve é sofrível.
Hotéis: tem lugar para todos. Da oferta padrão cinco-estrelas a pousadas.
Restaurantes: a gastronomia é variada e os preços são em conta.
Lazer: dá para se divertir 24 horas por dia. Menos no centro de esportes, no qual a cafeteria acaba de ser destruída por um incêndio.

Bariloche, Argentina
Boa vida e natureza a baixa temperatura

Por todo o inverno, Bariloche vive como se fosse uma grande cidade. Tem comércio variado e restaurantes nota 10, caso dos especializados em caça. Os hotéis atraem todo tipo de viajante, incluindo o mais exigente: o Llao Llao, que acaba de ser reformado, é o endereço mais sofisticado da hotelaria andina. As ruas de Bariloche são passarela de uma gente alegre, a maioria mais interessada em conhecer o próximo (as discotecas e o cassino ficam lotados até alta madrugada) do que esquiar em Cerro Catedral. Distantes 20 quilômetros do centro de Bariloche, alguns dos hotéis do Cerro permitem a prática do ski in-out - o hóspede pode sair esquiando do próprio quarto. A estação tem 67 quilômetros de pistas e 32 meios de elevação. Atenção: quem gosta realmente de esquiar, vai em busca de outros resorts. Pois, quem escolhe Bariloche, prefere aproveitar o inverno atrás de agito e natureza. É um tipo de viajante que, por exemplo, toma chocolate quente, apreciando a beleza do Lago Nahuel Huapi.
Conhecida nos Andes como "Brasiloche", imagina-se o tamanho da caravana que se desloca todo ano nessa direção. Por isso, se quiser passar incógnito neste inverno, definitivamente exclua Bariloche do seu roteiro.

Quanto Custa: a partir de US$ 1 136, por pessoa (7 noites em apartamento duplo).
Acesso: distante 1 607 km de Buenos Aires; está a uma altitude de 900 m (da base).
Neve e Pistas: Cerro Catedral tem boa infra-estrutura; os iniciantes vão para o vizinho Cerro Otto.
Hotéis: o Llao Llao é realmente fantástico. Mas há outras opções de alojamento de alto nível.
Restaurantes: come-se muito bem, mas gasta-se por isso.
Lazer: a cidade é dedicada à diversão; não falta o que fazer.



« Voltar
Anterior Próxima

 

 

   
GELT